domingo, 22 de fevereiro de 2009

Minha banda já era




Eis um breve relato, ok, talvez não tão breve assim, da última apresentação da minha banda, Vinill. Obviamente o negócio tende a ficar um tanto quanto romantizado, mas a intenção é apenas registrar o fim de uma fase que vai deixar saudades a mim.


Dia 20 de fevereiro, sexta-feira, show marcado no Pub Rock Beer, em Araçatuba, a partir das 23h. O evento todo se chama Pub Rock Fest, dois dias com três bandas em cada. Na sexta, além de nós, as bandas Dona Odete e Arquitetura Humana, ambas de Araçatuba. Fomos ao show sabendo que seria nossa última apresentação, já havíamos combinado o fim da banda anteriormente, o motivo basicamente é falta de tempo, mas nada que tenha comprometido a vontade de fazer essa última apresentação.


Fabrício Canhizares: Guitarra e Vocal


Sorteio da ordem das bandas: 1ª - Dona Odete, 2ª - Arquitetura Humana e 3ª - Vinill. Murphy seu filho da puta. Dona Odete abre a noite. Pearl Jam, Queens of the Stone Age, Rage Against the Machine, Planet Hemp, Red Hot Chili Peppers, Rappa e Raimundos basicamente compõem o repertório da banda. Execução e performance muito competente e um vocalista carismático.


Logo após, Arquitetura Humana. Rock Nacional clássico tocado com estilo próprio. Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Rita Lee, entre outros. O final foi com Knocking on Heavens Door e com uma Sweet Child'o Mine improvisada, com direito a galera no palco e solos de guitarra com a boca (!!).


Giovana Amadeu: Teclado, Violão e Vocal


Enfim, hora de subir ao palco, já 3 horas da madrugada. O público já tinha diminuído um pouco, mas sinceramente não me importei. Começamos com Beds Are Burning do Midnight Oil, uma das poucas que canto no repertório. Início um pouco inseguro, mas até o fim da música já me sentia em casa.


Posso estar ficando louco, ou pode ser que as Heinekens estivessem fazendo efeito em minha cabeça, mas das já não muitas pessoas que estavam lá senti uma atenção estimulante. Na verdade sempre pensei assim, pode ser no meio de 1000 pessoas, se conseguir notar ao menos uma que esteja prestando atenção e gostando já ganhei a noite. Sim, não sou ambicioso.


Eduardo Martinez: Baixo e Vocal


No repertório quatro músicas mais lentas estavam seguidas, o que poderia sepultar a apresentação acho que na verdade chamou atenção de quem estava lá, desde o momento nostalgia de What's Up, até a melancolia cortante de Creep. Destaque para Giovana que mesmo quase afônica, cantou brilhantemente What's Up e Zombie arrancando comentários de "puta que pariu" do público, enquanto o futuro maridão, Fabrício, solava como se fosse sua última apresentação. Ops, na verdade era, digo, foi, quer dizer, pelo menos com a banda, ah, sei lá, o que importa é que foi fodaço. E a ainda o Jãozinho espancando a bateria com sua calma habitual, adoro esses contrastes, rs.


A tristeza foi cortada com I Feel Good, há tempos não pulava tanto em um show. Born in the U.S.A. foi cantada a plenos pulmões, assim como Time e Black, e o gran finale com The Wall, uma das músicas mais importantes da breve história de pouco mais de dois anos da banda, sendo tocada desde os primeiros ensaios e presente em todas as apresentações feitas, boa maneira de encerrar atividades. E ainda teve um bonus track, hehe, Wish You Were Here no improviso atendendo a pedidos.


João Paulo: Bateria


No final das contas, saldo positivo. Cerveja, Rock'n Roll e muita empolgação, pra que mais! Me resta dizer que sou muito grato a meus três companheiros de banda e amigos para vida, Fabrício, Giovana e João Paulo. Foram anos de muita diversão que vão deixar saudades. Agradecimentos também ao David e ao Ricardo do Pub pela oportunidade. A propósito, agora estou sem banda, se alguém estiver precisando de um baixista, ou até de um violonista, estamos aí, hehe.


Setlist do show:


01 - Beds Are Burning - Midnight Oil
02 - Jump - Van Hallen
03 - Por que a Gente é Assim? - Barão Vermelho
04 - Zombie - Cranberries
05 - What's Up - 4 Non Blondes
06 - Creep - Radiohead
07 - Easy - Faith no MOre
08 - I Feel Good - James Brown
09 - It's a Heartache - Bonnie Tyler
10 - Born in the U.S.A. - Bruce Springsteen
11 - Time - Pink Floyd
12 - Black - Pearl Jam
13 - Another Brick in the Wall (Parte 1 e 2) - Pink Floyd
14 - Wish you Were Here - Pink Floyd (Extra)


Videozinhos do Show:













Fotos e vídeos: Patrícia Guerra

10 comentários:

Diuân Feltrin disse...

Parabéns Eduardo pela realização!
Mas faltou uma no repertório: Don't you see, don't you see!!!!!!!
Hahhuahuahauah
Sucesso!

Anderson Augusto Soares disse...

Não fosse outro compromisso, eu estaria lá. Não sabia que era a última apresentação da banda. Assisti aos três vídeos, foi uma boa amostra do que foi o show. bons instrumentistas e bons vocais. Gostei especialmente da Giovana. Mas a banda toda está de parabéns.

Talvez vocês se reúnam vez ou outra para shows especiais. A banda quando é boa, se acaba, volta anos mais tarde...

Márcio Anix disse...

Noite lendária e inesquecível do Rock´n Roll. Foi lá onde comemorei o carnaval e curti pelos 5 dias de folia. Fabuloso.

Mr. Alesh disse...

Muito pouco a acrescentar. Só penso que o título para sua postagem poderia ser menos, digamos, deprê... Você lutou tanto prá que a banda fosse adiante e terminar assim? Bom, eu que fui membro muito rapidamente dela, lamento. Mas sem hipocrisia, já sabia que isso terminaria assim. No mais, to torcendo prá vc arrumar uns caras malucos e vir prá Soricaba prá montarmos uma banda de rock n' roll como a gente idealizou..

Abraço, amigo.

Joãozinho disse...

Difícil comentar este momento mas, a pedido do Dudu lá vai... Infelizmente devo admitir que não fiz lá a melhor apresentação, ou senão deixei muito a desejar daquilo que poderia ter "saído". Nem me preocupei com a falta de retorno: "Deixa pra lá, é o fim mesmo". Não posso dizer nada mais que, estou triste, muito triste. Custo a acreditar que realmente esteja acontecendo. Independente do que venha pela frente, preciso dizer: Dud's, Fá e Gí, EU AMO VOCÊS! (Precisava ter um final gay.)

Ayne disse...

Pena não ter ido.
Mas não foi por falta de vontade.
FAz assim, quando quiser tocar só para matar as saudades, vamos reunir os amigos e vou adorar te ouvir tocar, ok?

Fabricio Barbosa Canhizares disse...

Ae...senti um puta excesso de emoção no post, mas tbem admito que quase chorei ao ler suas palavras dudu... mas como o amigo disse aí em cima... quem sabe algum show de retorno... peço perdão a todos da banda publicamente por, infelizmente, não poder continuar, mas tenho certeza que o ótimo tempo que durou terminou com um puta gosto de quero mais.
Abraços a todos da banda e a todos que de alguma maneira contribuiram com ela... Abraços de gratidão a todos que compareceram aos shows da Vinill e quem sabe um dia... "Pois a vida, essa sim é uma caixinha de surpresas..."
Valeu Dudu, João, Gi... amo vcs todos do fundo do meu coração!!!

Eduardo Martinez disse...

Obrigado a todos pelas palavras e apoio...

Giovana Amadeu disse...

Ai, que tristeza sinto....
Sabe, tenho uma esperança enorme que retornaremos em breve, pois nosso guitarrista tá tão triste!!!
Enfim, essa banda significou muito pra mim e somente vcs três sabem disso, deixar um coral religioso e entrar de cara numa banda de rock... foi MARAVILHOSO. Conquistei algo em mim graças a isso tudo, que foi a descoberta de mostrar o que sei e o que estou sentindo em cima de um palco. Ver o Duds pulando igual um louquito no palco, ver o Jão se arrebentando com a as baquetas, as caretas do Fa na guitarra, eu não podia ficar pra traz, as vezes dava vontade até de arrancar a roupa de tanta loucura, mas, temos que nos controlar.
Bom, vcs estão se referindo de amor, mas, o meu por vcs é bem maior. Amo pra caramba o Dudu, amo muiiiiito o Jãozinho, e o Fa.... meu futuro marido, nem se fala. Amo muito tudo isso e,.....aguardo retorno E EM BREVE.!!!

Patrícia Guerra disse...

pena que acabou vai deixar saudades!