segunda-feira, 2 de março de 2009

Banzé! só para maiores

Banzé! Banda independente paulistana que depois de muitas reviravoltas é formada hoje por Thadeu Meneghini no vocal e guitarra, Willy Cardoso no baixo, e Marcelo Effori (mais conhecido como Loco Sosa) na bateria.

Inicialmente saltava aos ouvidos influência de bandas Mod como The Jam, Paul Weller ou ainda o Ira!. O que importa é que era um pop de primeira, boas melodias, boas letras e apelo popular bastante interessante.

Mas em 2008 algo ocorreu na cabeça dos caras e eles lançaram o álbum Antes da Queda, segundo deles. Saem os bons moços de cena e entram as imagens do espelho deles.

Ou seja, o Banzé! era isso:

Obs: clipe vencedor do VMB 2006 na categoria "Clipe independente". Veja a letra embaixo dos clipes.




Eu vi um vaso lá do céu cair
Ou foi do décimo terceiro andar ?
Não sei o que te faz se comportar assim
Querendo estar sempre por cima para me acertar.

Doce ilusão te faz agir sem mais
Doce ilusão não vá se machucar

Qual foi a fé que te escolheu pra controlar ?
Qual o programa da TV te faz entreter ?
Qual a revista que te impele para consumir ?
Qual candidato ao governo que não vai mentir ?

Doce ilusão te faz agir sem mais
Doce ilusão não vá se machucar

Se não levar em conta que há propensão
Será difícil em tese e prática te entender
É necessário alheio a vontade
Acreditar ser o que não é soa bem a verdade.


Agora virou isso:

Obs: menores de 18 anos, ouçam a música mas tapem os olhos, pois tem putaria pra caralho. Ops, pensando bem também tem frases "ofensivas" na letra, então fudeu.



Não me julgo violento;
Sempre exorcizo a culpa.
Tenho berço e fino trato, mas
não peço desculpas.
Abram as portas do convento,
Libertem logo as putas
Já embalei mais um contrato, então :
Cala essa boca e chupa!

Que aqui que manda sou eu
Que aqui que manda sou eu
Não existe santo pra te salvar
E da sujeira toda da boca do lixo ninguém pode se limpar !

Sou bem mais do que aparento, mas
Não fico dando sopa,
Esse é o meu talento nato e eu sou,
Eu sou o rei da boca,
Abram as portas do convento,
Eu amo qualquer puta
Já embalei mais um contrato, então:
Ajoelha e chupa!

Que aqui quem manda sou eu
Que aqui quem manda sou eu
Não existe santo pra te ajudar
E da sujeira toda da boca do lixo ninguém pode se limpar !



E isso:

Obs: a parada aqui agora é violência, mas assista até o fim, é quase um curta-metragem.



Os mortos enfeitam as ruas
Junto ao perfume de lixo e gás
Do Oratório a Santo Amaro
Das rodovias às marginais

Sigo o cortejo agourento
Como a uma procissão
Nada me resta de concreto
Além da solidão

Sob o cimento

Nenhum som ou movimento
Só o silêncio, só o silêncio
Ideais ou sentimentos
Só o silêncio, só o silêncio
Não há dor ou sofrimento
Só o silêncio, só o silêncio

Nem perdição, nem firmamento
Nem julgamento, nem redenção
Nem emoção, nem pensamento
Nem desalento, nem salvação

Sigo o cortejo agourento
Como a uma procissão
Nada me resta de concreto
Além da solidão

Sob o cimento

Nenhum som ou movimento
Só o silêncio, só o silêncio
Ideais ou sentimentos
Só o silêncio, só o silêncio
Não há dor ou sofrimento
Só o silêncio, só o silêncio



Resumindo: se é pra ser assim, vamos entrar no lixo até o pescoço, como fez o Banzé de forma genial.

Mas diz aí, independente da fase, os clipes são muito bons não?

Site da banda: http://www.banzerock.com.br/

Obs (juro que é a última): O Clemerson vai dizer "Prefiro eles antes", rsrsrs.

Um comentário:

Clemerson Mendes disse...

Por que o senhor fez essa referência hein? Não entendi o que a sua pessoa quis dizer com isso. Se é só para maiores, o snehor quis dizer que tenho uma mentalidade de muleke?
Não sou muleke não tá ligado truta?

Hhuahuahuaahuauahuahauhau

Mas olha Dú, você tem toda razão prefiro eles antes viu. Huhahuahua